top of page

Conheça os Vencedores do 6º Festival de Audiovisual NUPEPA/ImaRgens - ICNOVA/LAPS/NAVISUAL/AO NORTE

Em 15 de Dezembro de 2023 foi celebrado o evento de premiação do 6º Festival e Mostra de Audiovisual NUPEPA/ImaRgens - ICNOVA/LAPS/NAVISUAL/AO NORTE.


O evento contou com a participação dos seguintes membros do júri especial composto pelas professoras/cineastas Ana Elisa Freitas, Bianca Freire-Medeiros, Lara Plácido, Maria Irene Aparício e Talitta Freitas.


Assista o evento de premiação clicando na imagem ao lado ou por meio deste link: https://www.youtube.com/watch?v=EB2lwLV4v9U

O evento foi apresentado pelos coordenadores do NUPEPA: Ana Carolina Trevisan, Allan H. Ferreira e Marcus Repa e contdou com a ppresença dos professores José Ribeiro da Associação AO NORTE e da Professora Ana Elisa Freitas da UFPR.


De um total de 40 materiais selecionados, foram 12 os que receberam os prêmios do Júri e/ou do Público em diferentes categorias. Veja abaixo a relação de prêmios e premiados.



Os filmes selecionados para o 6º Festival podem ser assistidos nestas playlists:


Categoria:  "Recortes Documentais":


Categoria: "Ensaios e Experimentações":


Categoria: "Narrativas Ficcionais":


Categoria: "Sequências Fotográficas": 


 

Premiação do Júri Especial




Prêmios:

Melhor Roteiro e Narrativa (Prêmio do Júri)

Melhor Técnica de Filmagem (Prêmio do Júri)

Melhor Edição e Finalização (Prêmio do Júri)

Melhor Filme de Ficção (Prêmio do Júri)

Melhor Obra do Festival (Prêmio do Júri)


Sinopse: Um garotinho acorda sem nenhuma memória e com medo de sair de seu quarto para ver o que há do lado de fora.




Prêmios:

Contribuição para o Debate nas Humanidades (Prêmio do Júri)

Melhor Filme Resultante das Oficinas do NUPEPA/ImaRgens (Prêmio do Júri)


Sinopse: Documentário sobre a ocupação da Ferrovila, um antigo trecho de linha férrea desativado que corta a cidade de Curitiba (PR), Brasil. Mostra a luta de famílias de baixa renda pelo direito à moradia e por transformação social.



Prêmios:

Melhor Filme Documentário (Prêmio do Júri)

Contribuição para o Debate Sociológico (Prêmio do Júri)


Sinopse: Mini documentário produzido como conclusão da disciplina tecnologias sociais da memória.



Prêmios:

Melhor Filme Documentário (Prêmio do Público)

Escolha do Público (obra mais vizualizada) (Prêmio do Público)


Sinopse: Quem você vê no espelho? Quem lhe diz sobre quem é você? Diante de uma sociedade predominantemente preconceituosa e estigmatizadora, como as pessoas dentro do espectro da diversidade social no Brasil se relacionam com a própria imagem e com as influências que imperam no contexto social? O filme se propõe a traçar uma possível interlocução entre os olhos de quem se vê no espelho - por meio dos seus reflexos na história contada, percepções subjetivas e singularidades, e os demais olhares estrangeiros que permeiam o paralelo cotidiano. Uma ambiência confrontativa entreolhos, cuja perspectiva de si mesmo se depara com os constructos da tríade: autoimagem - autoconceito – autoestima. O documentário, juntamente com a dissertação que apresenta o respectivo estudo analítico das entrevistas, é parte integrante da pesquisa de Mestrado defendida no último dia 16/novembro/23 na FFLCH/USP, do discente Sérgio Felix, sob orientação do Prof. Dr. Reinaldo Miranda de Sá Teles.



Prêmios:

Melhor Filme Ensaios e Experimentações (Prêmio do Júri)


Sinopse: O filme retrata os mesmos objetos de filmagem porém em continentes totalmente distintos e estabelece um elo comum entre os mesmos.




Prêmios:

Melhor Filme Documentário (Prêmio do Júri)


Sinopse: O curta documental apresenta a história de Ruby, uma jovem mulher, transsexual, preta e periférica que relata diversas situações em sua trajetória de vida a qual enfrentou e ainda enfrenta uma enorme violência e preconceito no dia a dia. Ainda assim, apesar de toda difícil situação que se encontra, principalmente por também ter um passado ligado ao cárcere, acredita que seja possível ter uma vida próxima do que é considerado normal pela sociedade. Ruby ao mesmo tempo que dedica-se ao profano, junto a suas amigas, durante momentos ligados a prostituição, festas e uso de drogas, também guarda espaço para o sagrado, ao qual é atrelado a conexão com sua religião de matriz africana, entre outras relações interpessoais em seu cotidiano.




Prêmios:

Melhor Filme Documentário (Prêmio do Júri)


Sinopse: Fotografias e relatos breves resgatam poeticamente a memória afetiva de mulheres de uma mesma família, atravessadas pela costura.




Prêmios:

Melhor Sequência Fotográfica (Prêmio do Júri)


Sinopse: O projeto fotográfico “Retratos da Jornada” por Getulio Ribeiro, tem a intenção de ir além da foto “evento”, não se limitando ao registro geral de praxe e sim, encontrar um lugar mais íntimo e acolhedor na documentação das Folias de Reis.




Prêmios:

Melhor Filme Ensaios e Experimentações (Prêmio do Público)


Sinopse: A pamonha no Cerrado – da alimentação a um jogo cultural de linguagens; identidade geográfica; brincando com as regionalidades e as linguagens, tanto na poética quanto na técnica. Estou cá no Brasil.. ensaiando algo sobre "fazer pamonha" (em fazer um curtinha com a minha mãe fazendo pamonha).. pamonha é uma massa de milho verde salgada ou doce.. cozida dentro da própria palha.. bem regional daqui do meu território.. mas quero mesmo romper com alguns padrões d sombras e enquadramentos e com composições que façam o simples aFÉto do cozinhar.. uma arte.. um produto cultural.



Prêmios:

Melhor Filme de Ficção (Prêmio do Público)


Sinopse: Ana, uma menina Surda e Negra que sofre pelos padrões de beleza impostos pela nossa sociedade, mostra sua história de luta e reconhecimento e aceitação da sua identidade.



Prêmios:

Melhor Sequência Fotográfica (Prêmio do Público)


Sinopse: Fotos do meu quilombo, fotografias usadas na base escolar como fortalecimento de identidade e cultura.




Prêmios:

Escolha do Público (obra mais vizualizada) (Prêmio do Público)


Sinopse: Fernando Pessoa escreveu, e Francisco Mário musicou: "a morte é a curva da estrada. Morrer é só não ser visto. Se escuto, eu te oiço a passada existir como eu existo". A morte é curva inevitável: disto sabemos. Mas o que realmente muda o jogo são os passos no caminho até esse encontro. Neste curta documental autossociobiográfico, Jefte Amorim reflete sobre sua história e sobre a relação com a morte em 32 anos de caminhada.


 

Mais de 300 participantes de um público variado (50% deles vinculados a instituições de ensino superior e instituições de interesse social) voraram para os prêmios do Público, veja abaixo os locais de onde o público votou:



Agradecemos novamente aos participantes, membros do Júri Especial, membros da organização e professores das instituições de apoio:


Professores responsáveis:

Profa. Dra. Carla Baptista (ICNOVA), Prof. Dr. Álvaro Comin (LAPS), Profa Dra. Cornélia Eckert e Profa Dra. Rumi Kubo (NAVISUAL) e Prof. Dr. José Ribeiro (AO NORTE).


Aos membros do Júri Especial:

Profa. Dra. Ana Elisa Freitas, Profa. Dra. Bianca Freire-Medeiros,  realizadora e arquiteta Lara Plácido, Profa. Dra. Maria Irene Aparício e Profa. Dra. Talitta Freitas.


Comissão organizadora do 6º Festival

Aline Fátima Costa, Eduardo Neves, Djaneide Lacerda, Fernanda Aiub, Janayna Medeiros, Luciana Bessa, Miguel Agra, Getúlio Ribeiro.



Em março de 2024 teremos a 11ª Oficina de Audivisual do NUPEPA/ImaRgens - ICNOVA/LAPS/NAVISUAL/AO NORTE feita em parceria de extensão com o NAVISUAL (UFRGS). Esperamos vocês! Até lá!

댓글


Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page